Artigos

100 anos de Evangelho entre os indígenas

100 ANOS DE EVANGELHO ENTRE OS INDÍGENAS  DO BRASIL

 

Por Ricardo Poquiviqui Terena

 

“Em busca do tesouro perdido”

No final do  século passado, um cidadão do Reino Unido (Escócia) chamado John Hay  e um amigo, resolveram juntar seus pertences e partirem para a América do Sul: lugar que eles tinham ouvido dizer ser o procurado “Eldorado”; terra na qual os homens buscavam para si grandes fortunas, porque as oportunidades para enriquecer eram muitas ( ouro, estanho, prata, terras,  etc.).

Assim numa manhã chuvosa, eles embarcaram em um navio no cais de Liverpol (Inglaterra) em busca do tão sonhado Eldorado. Depois de muitos dias navegando, ora em mar revolto ora em bonança, o navio aportou no cais de Buenos Aires (Argentina).

John Hay e seu companheiro ficaram por algum tempo na cidade de Buenos Aires; mas não era ali que eles esperavam ficar ricos. Buenos Aires tinha a aparência das cidades europeias, lugar de onde eles vieram e eles achavam que ali não haveria grandes oportunidades para se ganhar dinheiro. Assim, sendo, os dois amigos partiram para outras cidades da América do Sul em busca de riquezas.

Viajaram por muitos lugares e foram alcançando aquilo que buscavam, ou seja, começaram a ficar ricos. Em determinado momento, cada um tomou seu próprio caminho em busca de mais riquezas.

John Hay agora estava só, ele e seu dinheiro, pensando ter alcançado o seu objetivo de vida. Um dia porém as coisas mudaram – John Hay perdeu toda a sua fortuna que tinha ajuntado nos cassinos do Paraguai.

E assim sem dinheiro e sem amigos, num país distante e longe dos familiares, o homem que queria ganhar os “tesouros do mundo”, ouve as Boas Novas de Salvação e recebe Deus por meio de Jesus, o Tesouro Maior do mundo, que ele não viera buscar na América do Sul mas que acabou ganhado pelo amor de Deus.

Leia mais... 100 anos de Evangelho entre os indígenas  
Sábado Agosto 30 , 2014

Um Movimento Chamado Tres Ondas

A força missionária ao longo dos séculos tem ganhado espaço muito grande porque não se trata de operação humana e sim uma força propulsora gerada por Cristo Jesus. Embora sofrendo muitas perseguições registradas pelas escrituras sofridas pelos seus discípulos e reforçadas pelas biografias dos chamados heróis da fé, chega ao nosso continente por meio de missionários estrangeiros convictos de sua fé e compromisso em servir ao Senhor. Estes não mediram esforços em meios as intemperes da vida certos de que a seara estava pronta para serem colhidas. Entre os povos indígenas essa força missionária seguiu-se por meios de plantação de igrejas, fortalecimentos de lideres, escolas, hospitais, tradução das escrituras, seguido pelos esforços dos chamados nacionais ou mestiços dando continuidade a esses trabalhos desenvolvidos. Com o passar dos anos outra força missionária nasce para juntos erguer essa bandeira do evangelho entre as nações indígenas a que foi chamado de terceira onda missionária munida por capacitação e treinamento participativo das chamadas primeiras e segunda onda missionária segue com uma expectativa de ver ais mais de 400 tribos a serem alcançadas pelo evangelho nessa região amazônicas e a chamada terras baixas.

Reunidos nesses dias em Quito Equador mais de 150 lideres estrangeiros, nacionais e Indígenas vindos de diferentes organizações , a fim de trazer uma reflexão e desafios a todos os presentes para uma incumbência de unidade e cooperação. A organização chamada de Rede Trans-Amazônica que compreende Redes indígenas de seis Países: Brasil, peru, Paraguai, Equador, Colômbia e Bolívia foram os protagonistas desse encontro. Grandes missiológos, Linguistas e Teólogos foram convidados para serem os palestrantes que nos impactaram pela paixão e visão que cada um tinha.

 

Certamente há muito por fazer e os desafios aumentam a cada passo, porém junto seguiremos em ver as tribos a serem alcançadas pelo Evangelho

Deus abençoe

Rev. Henrique Terena